Páginas

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Deixa-me falar-te de amor

Deixa-me falar-te de amor...

Do cheiro que exalas

Do rasto perdido

Deixa-me falar-te do silêncio

Do grito

Das noites de insónia

Deixa-me dizer-te do mar,

De um poema de amor

De um tempo esquecido

Dos olhos fechados

E serena

Aconchegar-te num beijo

Tecido de sonhos!

2 comentários:

José Rios http://terradonabo.blogs.sapo.pt disse...

Gostei do tipo de poesia que escreves é bastante rara e é muito agradável de ler. Obrigado e continua a escrever por favor! :)

carolina disse...

Obrigada, gostei que tivesses gostado!