Páginas

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Um dia o amor

O amor não tem a ver com a noite ou com sorrisos ao Sol.
Ele escuta o choro e faz sorrir a lágrima.
No poema, o amor caminha a passos largos para a loucura, para a entrega.
A palavra gasta o tempo e depois afunila o pensamento. Foi por isso que emudeceu como o silêncio da noite. Era vê-la atolada de pensamentos, de vontades. Mesmo assim a escrita fugiu e demorou-se por terras de ninguém, alguém a viu muito longe.
Mas o amor faz falta quando está a nevar, eu acho! Mesmo de olhos bem abertos sente-se no aconchego, a ausência do tempo.
Um dia vou pegar ao colo a vontade de amar, depois não digam que me calei!

Um comentário:

Ana disse...

O amor é o sentimento mais bonito que conheço e que faz muita falta!

Adorei este fantástico texto, querida Carol!

Espero que "esse" dia esteja para breve e que "pegues ao colo" com toda a tua "força" essa vontade de amar!

Um grande beijinho repleto de carinho,
Ana Paula

U