Páginas

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

tu

Tu
Ilusão perdida
Engano fora de horas,
Um nó perdido na garganta
Incandescência rubra magoada
Lágrimas avulso em tempo de Primavera,
Ferro enferrujado pela mágoa, gaivota em terra
Buliçoso mergulho nos pensamentos que eram nossos
Grito sem eco na montanha mais alta da cobardia
Arena sem tempo, cantigas ao desbarato
em noites de serenata de cigarras.
És tu, amor em tempestade
Estrada sem sentido
Meu amor
Tu

Um comentário:

Ana disse...

Um artístico “triângulo” com excelentes vocábulos onde o tema principal é “amor”. LINDO!!!
És uma poetisa Carol!
Beijinhos grandes.